quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Sai de mim, amor


Sofrimento antecipado, criado, inventado, pra satisfazer o vazio do peito. Estar acomodado com tudo dar errado, não aceitar que possa estar bem, certo, bem, certo... bem certo. 

Você imagina, cria, inventa. É nojento, horrendo e doentio. Essa mania... de fantasia. Dentro da sua cabeça... Dentro da sua cabeça... Rodeando a sua cabeça. Você rola na cama, de um lado para o outro. Você imagina, cria, inventa. É desprezível, é doentio. Você não dorme, idiota, não dorme. Tortura-se sozinho, no fundo da mente, do coração, na escuridão dos pensamentos, os piores pensamentos. Você se sufoca, você se afoga... no próprio vômito, nas próprias palavas, nos seus pensamentos... Paranoia

E seu coração pulsa como sua cabeça... forte como seus pensamento... quente como seu sexo. Histórias absurdas e fascinantes. Você fantasiou para alimentar o próprio sofrimento, as próprias verdades não ditas, mas imaginadas, pensadas e procuradas. O receio de aceitar que está dando tudo certo... faz você buscar o errado, o que está errado, onde está errado. Paranoia... Martela sua cabeça como cabeça de prego enferrujado que lateja, entorta, aleija.

Você é louco. Você é paranoico...
Não aconteceu... Não aconteceu... Não vai acontecer... Aconteceu... Na sua cabeça...
Você é louco, infeliz, insatisfeito...
Busca dentro de você suas insatisfações e alimente, o alimente, sua mente... com paranoias.

Ele me ama? Ele me quer? Ele não quer? O que ele quer? O que ele fez? O que não fez? O que me fez? Onde ele está? Com quem ele está? Por quê não está? Por quê ele está? Está lá. Está com ela. Ele a quer, e não como amigo. Ele quer. Ela o quer. Ele não me quer... como mulher. 

Você não é o suficiente pra mim, eu não sou mulher para você... isso não me impede de te querer, de querer... perto, próximo, junto, dentro, fundo... com força

Me sufoca os pensamentos. Os pensamentos que eu alimento, no pensamento... que eu crio, que eu vejo, que eu sonho, que não existiu. 
Tira de mim isso, vai...
Me deixa dormir, descansar meu coração, amor. Me deixa, sai daqui, sai de mim, da minha cabeça, do meu sexo. Deixa meu amor aqui, vazio, jovem e insuficiente. Fica longe. Sai de mim, vai pra lá, pro lado de lá, ficar com ela lá...

Não insiste, não força, não me deixa ver, não me deixa imaginar. Sai daqui, vai pra lá, ficar com ela lá, fazer amor com ela, sentir o cheiro dela. Fica pra lá, sai daqui, me deixa dormir... Só essa noite.
Não quero sonhar, não quero saber, não quero ver, não quero imaginar. Sai pra lá, me deixa dormir. Preciso dormir... sonhar com você, sofrer mais um pouco... Sonhar com vocês, que pesadelo. A beija na minha frente, meu coração arde inconscientemente. Sai de mim, sai daqui.

É desesperador. Você não está lá, mas eu te vejo lá, te sinto lá, com ela lá, sentindo-a. Odeio-a.


SaiDeMim.

Da minha cabeça, do meu sexo.

Do meu coração, do meu corpo.

Sai amor, sai de mim. 

Me deixa dormir, amor. Não quero te querer mais, sai de mim.

Me deixa dormir, amor... só esta noite.

8 comentários:

  1. O eterno dilema entre pensar no que se quer esquecer e esquecer do que se deve lembrar. Lindo. ♥

    ResponderExcluir
  2. Nossa!! Me vi e senti agora. Lindo e aterrorizante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aterrorizante até hoje, Mel... até hoje.

      Excluir
  3. Tenso!
    Gostei da foto, encaixa muito bem com o texto.
    É vc na foto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Wendel.
      Não, não sou eu nessa foto. rs

      Excluir
  4. Nossa, cara! Show! Essa sou eu rs exatamente tudo o que eu sinto. Inclusive hoje que ainda não consegui dormir e já são 9:44. Parabéns! Sempre espero coisas boas de pessoas que curtem filmes, quadrinhos e videogame.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ow Luaninha, nem me fale... eu rolo na cama por longas horas! E esse bolo de pensamentos ficam na cabeça todo esse tempo. Muito contente com sua visita e seu comentários. <3

      Excluir